Inventor africano constrói impressora 3D com lixo eletrônico

Inventor africano constrói impressora 3D com lixo electrónico (com FOTOS)

 

Kodjo Afate Gnikou, um engenhoso inventor do Togo, na África Ocidental, construiu uma impressora 3D a partir de peças que recolheu de velhos scanners, computadores, impressoras e outro lixo electrónico. A impressora, que está totalmente funcional, vai custar uma fracção do preço a que estão as concorrentes no mercado, evitando, no processo, que resíduos prejudiciais ao meio ambiente cheguem aos aterros sanitários.

Os equipamentos electrónicos descartados são uma das fontes de resíduos que mais depressa cresce no mundo, mediante a rapidez com que os consumidores substituem os seus dispositivos – como pode ver por este cenário, no Gana. No entanto, em vez de deixar o lixo electrónico acumular-se em sucatas ou aterros, Gnikou decidiu utilizar esse material para criar uma impressora 3D barata e artesanal.

O inventor tem grandes planos para o seu projecto de reciclagem. De acordo com a sua página de crowdfunding, está mesmo a trabalhar com a FacLab-France, no âmbito do projecto WAFATE to Mars, para fazer máquinas recicladas, a partir de lixo electrónico, capazes de serem usadas em missões espaciais em Marte.

A impressora 3D é feita principalmente de materiais obtidos numa sucata na cidade de Lomé, embora Gnikou se tenha visto obrigado a comprar algumas peças. O custo total da máquina rondará os €74 (R$ 218), o que é uma autêntica pechincha considerando os actuais modelos no mercado que atinge os milhares de dólares.

Segundo o Inhabitat, Gnikou ambiciona “colocar a tecnologia em mãos carentes e dar a África a oportunidade de não ser apenas um espectador mas jogar o primeiro papel numa revolução industrial mais virtuosa”.

Comentários

comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

fifty nine − = 50