Ministério Público e MPL

Olá meus caros, todo debate maduro e baseado em fatos concretos sempre são válidos.

Segue o meu relato sobre a sessão pública do ministério público do estado de São Paulo a qual estive.

Marcada para as 14:00 a sessão começou com atraso de 40min, neste meio tempo fui abordado por alguns presentes e principalmente pelo promotor de justiça Márcio, com o qual fiquei conversando e se mostrou interessado em saber “quem são os piratas”, passados alguns minutos chegou o pessoal do passe livre, e para ser franco gostam dos holofotes, ficaram atacando o governo tanto municipal quanto principalmente o estadual e assim foram lá 20 minutos nisso.

Iniciada a sessão e suas apresentações, ali estavam representantes da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, São Paulo Transportes, Secretaria de urbanismo, e promotores.

Faltaram ao convite do MPSP o Jilmar Tatto (PT) que é o secretário municipal de transportes do município e tinha antecipadamente aceito e divulgado que se faria presente, não veio o secretário de transportes do estado, tão pouco prefeito e governador que estão na França (e passando constrangimento por protesto de 10 pessoas na porta do hotel).

Todos da mesa falaram, assim como o MPL, representantes do PCdoB, PCB, PSTU, PPS, UNE e sindicato dos metroviários.

O discurso basicamente o mesmo, “não somos a favor da violência mas quem começou foi a PM e sempre na dispersão, queremos que a tarifa volta para os R$ 3,00 senão os protestos não cessarão” e foi assim durante mais de 3 horas se revezando e mantendo esta linha.

Entre uma fala e outra o que se ouvia tanto a quem estava próximo e também a posição do MP foi “Por qual razão, não provocaram uma reunião com governo estadual e municipal para discutir a respeito, fizeram isto só ontem?” pois o MPL protocolou junto ao MPSP o requerimento a respeito apenas ontem e não de forma anterior como eu já vinha anteriormente tentando mostrar uma outra linha de pensamento, e o resto do filme todos viram nos posts passados.

Também houve questionamento e silêncio por parte dos representantes do MPL por qual razão não foi solicitado escolta policial, afinal é obrigação do estado zelar pela preservação do direito e bla bla mais que foi dito, assim não teria ocorrido a cena de um motorista que atirou o carro em cima de manifestantes tão pouco teria veículos cruzando a paulista na primeira manifestação quase atropelando policiais que se mantinham em distância dos manifestantes.

Ao meu lado estava a Isabela, formada em economia pela PUC e mestranda pela Unicamp que participa da Rede (mas com tendência a vir mais para o movimento pirata depois de esclarecimentos a respeito), ela me fala “só querem que baixe a tarifa apenas?”, ela pediu a vez para falar, falou sobre mobilidade urbana, tocou quanto economia, o problema gerado quando se tem uma tarifa alta entre outros aspectos gerais.

Foi chegada a minha vez, estava portando valores de tarifas para fazer comparações, e outros documentos que levantei de gastos da secretaria de transporte, e fiz a provocação ao representante da SPTrans e EMTU “Já que a tarifa de R$ 3,20 é justa para vocês, o que acham de usar uma condução de R$ 9,45?” no que ouço do promotor “como assim?” Expliquei que o foco da conversa está centralizado na capital, a redução de tarifas etc, apenas estão vendo e falando de forma localizada, então estendi o debate a situação de cidades que tão pouco tem transportes suficientes e necessários, assim como a tarifa é exorbitante, fiz o comparativo entre o valor da capital de R$ 3,20 em uma cidade com a já citada “problemática de trânsito, que fica muito tempo parado, gasto de combustível, terreno acidentado” e comparei com a taxa de R$ 3,55 dos ônibus entre Santos e São Vicente, com percurso muito menor e é uma região plana.

É incrível o desconhecimento e visão de “mundo” de quem está a frente de movimentos, não se importam de ver além do valor tarifário puro e simples.

No tocante de “não ter dinheiro para subsidiar e que o governo não tem pauta para redução da tarifa” falei diretamente ao representante da EMTU que “um governo que já diz que não ha conversa, não é um governo democraticamente eleito”, citei linhas que ao longo do dia são “fantasmas”, linhas que param as 20:00 e perguntei se ninguém trabalha depois deste horário.

Enfim, o resultado disto no decorrer foi a proposta do MP de dialogar uma suspensão e não a redução e ponto final, da tarifa durante 45 dias onde serão também suspensas as manifestações, a de hoje como não daria para cancelar, então o que foi proposto em contrapartida pelo MPL seria que não fechariam ruas e avenidas se houvesse a suspensão ou o aceno em direção a isto, e que fariam uma comemoração nos locais de concentração.

Houve uma certa intransigência por parte do PCB para aceitar este pequeno ganho, mas venceu a maioria, o promotor Maurício propôs que se formasse ali uma comissão de 5 pessoas para verificar planilhas de transporte, contratos etc, tudo mais que fosse necessário para verificar a possível redução da tarifa, inclusive até abaixo da tarifa anteriormente vigente, no que ouço a resposta do pessoal do MPL “já está fechado, serão o pessoal que já estão conosco” pois bem, isto é um movimento por algo que seja público ou apenas o clube fechado?

O promotor foi bem claro, queria representante de cada um dos presentes que quisessem participar, ou seja dos partidos, associações, sindicatos e também de partido em formação ou seja PIRATAS, aí me pergunto, muitos querem enaltecer o MPL e na hora H somos colocado de fora e vamos continuar a falar deles?

No dia de hoje, vejo o resultado de R$ 0,10 a menos na tarifa e também vejo aceno em direção a suspensão de 45 dias da tarifa pelo estado, pois aí já entra a questão política da coisa, o PT reduz R$ 0,10 e o estado ou segue ou suspende ou mantém, o que neste último caso será mais desgastante politicamente ao PSDB, é muito provável que nos próximos meses se formalize o PSB apoiado pelo PCdoB e PCB entre outros, um candidato para concorrer ao governo do estado, isto já é uma outra história e são conversas de bastidores naquele momento. Pois surgiu depois que fui indagado se o Piratas é da mesma ideologia do PCdoB e PCB.

Bom, foi isso, creio que boa parte do que aconteceu lá gerou maior fruto não desqualificando os protestos, os quais temos que tomar cuidado em ver de forma global e tomar posição enfática sobre algumas questões, de quem são os que encabeçam, e ver de forma global e politicamente, afinal somos um grupo político ou não?

Abraços a todos.

Comentários

comentarios

1 thought on “Ministério Público e MPL”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

thirty + = 38