• 11 9.8879-2369

Arquivos por mêsFebruary 2016

São Vicente em Pauta

Como toda cidade, é de se esperar que tenha algum ou vários problemas pontuais, porém o que vejo retornando a São Vicente, minha cidade natal, é o total desmazelo e abandono pelo poder público, desde o cuidado com logradouros, falta de sinalização, problemas crônicos e que fora ampliado pela atual administração.

O que sempre colocam – pela administração – é que falta verba, mas o interessante que o que vejo é a falta de projetos e o bom uso do recurso público, não é de se admirar que os problemas da cidade cresceram cada vez mais, é a falta de redutor de velocidade em plena orla da praia que o limite de velocidade é totalmente ignorado assim como qualquer regra do CBT, agentes de trânsito é algo que não vi, por mais que eu tenha me esforçado rodando toda a cidade, policiamento na orla da praia excelente, porém não era o que se via mais para dentro da cidade, Vila Melo com vias afundando, semáforos com tempo absurdo para se transpor por baixo a imigrantes, algo que já deveria a muito ter sido revisto, na entrada da cidade buracos ou melhor crateras.

A impressão ou não, é que o gestor da cidade foi pegar férias desde sua posse, até o momento não voltou, claro que não podemos eximir de culpa a câmara municipal, afinal por lei ela é a responsável pela fiscalização das ações do executivo, que pelo visto a muito não cumpre sua função, visto que se preocupam mais com mudança e nomeação de logradouros e datas, só falta colocarem o dia da batata, dia da chuva entre outros já que até mesmo uma virada evangélica fizeram, o problema não é por ser evangélico, mas sim pelo fato da coisa pública privilegiar uma parte da população, enquanto sequer existe uma vidrada cultural, afinal falta cultura, lazer, diversão na cidade a muitos e muitos anos.

Por falar em cultura, este ano só houve encenação por ter sido patrocinado por algumas empresas e políticos da cidade, pior ainda como se fosse “apoio cultural”, me desculpe mas político não faz apoio cultural. Enquanto as necessidades gritantes da cidade não são escutadas pelo executivo e tão pouco o legislativo, a cidade vai passando pelo caos, com uma prefeitura que não sabe o que significa transparência.

Me reuni com amigos para falar sobre a cidade e dar meu apoio formal a dois pré-candidatos a vereador na cidade, pessoas íntegras e que tem capacidade de trazer, articular mudanças para a cidade, o que falta é garra, vontade, gana, coragem de realmente querer mudar alguma coisa, na área insular e japuí que é mais abandonado ainda desde a fundação da cidade, já a área continental só é lembrada em época de eleição ou para ganho político com a necessidade daquela população, estive no rio branco, gleba, Humaitá e em partes está a mesma coisa de mais de dez anos atrás e até pior com a expansão de moradias, o que demanda mais atenção do poder público mas parece ser inexistente.

Falamos sobre educação, cultura, lazer, entre outras tantas demandas que acomete a cidade assim como assuntos da esfera estadual e nacional, o que mais me chamou a atenção e desta vez não só a história de se construir um presídio ao invés de um hospital regional ou que fosse um hospital para a cidade, é que a ponte dos barreiros, a única ligação por dentro da cidade está comprometida, caso ela seja interditada, a área continental irá novamente voltar a década de 80 para trás ficando isolada do restante da cidade, que para piorar o governo do estado quer colocar mais duas praças de pedágio, como se não bastasse a que já existe.

É um verdadeiro descaso com a população, cidade, e ainda há quem diga que a cidade merece respeito, sim merece, mas quem diz isso não respeita nenhum pouco a cidade, mas quer ganhar a próxima eleição, este tipo de política para se ganhar eleição sem um projeto de cidade é algo que para mim beira o absurdo, ao ridículo, pouco ou nada fazem ou deixaram de fazer para que na próxima eleição tenha novamente o que se prometer, já chega disso, a população não pode ser tratada como objeto que hoje você usa e depois guarda para usar novamente mais a frente.

Quero muito acreditar que haverá uma boa renovação na cidade, já basta de pessoas que apenas exploram, a cidade tem muito a crescer e melhorar, basta ter um administrador com visão de cidade e não para práticas de politicagem visando a próxima eleição.

Sub-Prefeitura São Miguel – Assessoria da juventude

Estive na tarde de hoje na assessoria da juventude da sub-prefeitura de São Miguel Paulista, boa parte da tarde conversando sobre projetos e ideias com a Priscila Matteuzzi.

Falamos sobre a necessidade de projetos na área de cultura, educação, desenvolvimento, sustentabilidade entre outros, bons projetos porque não dizer excelentes até, para serem colocados em prática, é uma necessidade gritante no extremo leste e digo em especial ao Distrito do Jardim Helena em termos equipamentos e oportunidades para a juventude local, uma vez que carece-se de oportunidades, por diversas vezes é necessário um longo deslocamento para se ter seja uma diversão, lazer, estudo, por que não aqui?

Nesta linha me coloquei a disposição para que possamos colocar em prática os possíveis projetos que possam viabilizar a melhoria da qualidade de vida dos moradores e trazer o poder público para perto desta parte da população que se vê abandonada e só relembrada em época de campanha eleitoral sendo esquecida novamente após o fechamento das urnas.

Também tive o prazer de conhecer e ter uma conversa muito interessante com a Angélica Migri, sobre projetos voltados ao desenvolvimento social e empreendedorismo.

É preciso mudar, inovar, renovar e estou disposto e muito a ajudar a região ter por que não um salto do que é, para o que pode ser este distrito.

Reunião na Assoc. de Vila Itaim

Acabei por acompanhar Angélica Migri, Agente de desenvolvimento local e a assessora da juventude Priscila Matteuzzi da Sub-prefeitura de São Miguel Paulista, uma vez que levaria mais um pouco de doações as famílias que foram atingidas pela enchente, vestuário foi o que mais doaram, em detrimento de alimentos não perecíveis, mas cada um doa aquilo que lhe cabe e sempre será de bom grado.

A reunião que acabei por participar foi bem interessante e teve também a Angélica pontuou projetos e ações possíveis que podem ser realizadas na associação de Vila Itaim, projetos não faltam, ideias também não, o que é necessário é a implementação das ações e projetos propostos, somente assim desta forma teremos uma melhoria na região, impossível é algo que não foi tentado ao menos, existem fontes, modos de trazer o poder público para que faça sua parte, orientações gerais foram muito bem apresentadas e agora é o momento de colocar em prática.

Em conversa com o sr. Valdenor, ficou acertado para que seja feita uma feira de artesanato como feita no final do ano passado na Sociedade Parque Paulistano, onde a ideia principal é desenvolver o trabalho manual de artesanato na região, para que tenham uma fonte de renda.

Toda mudança acontece lenta e gradativa, já outras podem e devem ser impulsionadas para que tenhamos um resultado a médio e curto prazo, para isso o empenho de todos os envolvidos é o principal motor da mudança desejada.

FEPAC: Reunião de planejamento

Estive participando da reunião da executiva da FEPAC para organizarmos o evento que teremos no próximo dia 27 de fevereiro, quando da apresentação das diretorias da entidade quanto a organização de trabalhos e pautas para agenda anual, que excepcionalmente este ano será de bem dizer seis meses, uma vez que teremos eleições e impossibilitará alguns eventos.

A reunião foi realizada na câmara municipal da capital paulista, na sala Oscar Pedro do Horta.