• 11 9.8879-2369

Blog

Reunião na Assoc. de Vila Itaim

Acabei por acompanhar Angélica Migri, Agente de desenvolvimento local e a assessora da juventude Priscila Matteuzzi da Sub-prefeitura de São Miguel Paulista, uma vez que levaria mais um pouco de doações as famílias que foram atingidas pela enchente, vestuário foi o que mais doaram, em detrimento de alimentos não perecíveis, mas cada um doa aquilo que lhe cabe e sempre será de bom grado.

A reunião que acabei por participar foi bem interessante e teve também a Angélica pontuou projetos e ações possíveis que podem ser realizadas na associação de Vila Itaim, projetos não faltam, ideias também não, o que é necessário é a implementação das ações e projetos propostos, somente assim desta forma teremos uma melhoria na região, impossível é algo que não foi tentado ao menos, existem fontes, modos de trazer o poder público para que faça sua parte, orientações gerais foram muito bem apresentadas e agora é o momento de colocar em prática.

Em conversa com o sr. Valdenor, ficou acertado para que seja feita uma feira de artesanato como feita no final do ano passado na Sociedade Parque Paulistano, onde a ideia principal é desenvolver o trabalho manual de artesanato na região, para que tenham uma fonte de renda.

Toda mudança acontece lenta e gradativa, já outras podem e devem ser impulsionadas para que tenhamos um resultado a médio e curto prazo, para isso o empenho de todos os envolvidos é o principal motor da mudança desejada.

FEPAC: Reunião de planejamento

Estive participando da reunião da executiva da FEPAC para organizarmos o evento que teremos no próximo dia 27 de fevereiro, quando da apresentação das diretorias da entidade quanto a organização de trabalhos e pautas para agenda anual, que excepcionalmente este ano será de bem dizer seis meses, uma vez que teremos eleições e impossibilitará alguns eventos.

A reunião foi realizada na câmara municipal da capital paulista, na sala Oscar Pedro do Horta.

São Paulo 462 anos

Cidade com tantas diferenças e diversa, possivelmente possa haver alguma parecida, mas jamais igual, povo que acolhe, uma cidade que abriga tantas outras dentro de si, ao mesmo tempo cidade, ao mesmo tempo um país, parabéns a quem seja paulistano em sua origem ou por adoção, São Paulo 462 anos de história impossível de se homenagear em um só.

São Vicente 484 anos

Minha cidade natal completando 484 anos, a primeira vila do país, onde começou a surgir um país, berço da democracia das Américas onde abrigou a primeira câmara de vereadores, uma história incrível, mas pouco conhecida e contada que esta cidade guarda.

Aliás, a história de nosso país como um todo sempre é deixada de lado, mal contada e mal lembrada, tive o prazer de nascer nesta cidade e ainda voltar para ver amigos e familiares, saí de São Vicente, mas a cidade não sairá de mim!
Parabéns São Vicente!

Enchente: Vista a Sub Prefeitura de S.Miguel

Estivemos hoje na subprefeitura de São Miguel, afim de buscar esclarecimentos e mostrar nosso descontentamento com a morosidade e falta de informações da prefeitura, um dos pontos de indignação foram as obras de execução de limpeza de córregos que em nosso distrito apenas um local, na vila seabra, que haveria a necessidade de limpeza por três vezes, em contrapartida não há registro de limpeza de outros córregos e galerias que tenham sido limpos.

A subprefeitura culpabiliza o estado por não fazer o chamado “piscinão” e o desassoreamento da calha do rio tietê, por isso segundo eles que como a vila Itaim é mais baixa que o leito do rio, tende a encher por não estar acima, porém quando indaguei sobre a necessidade de nivelamento das ruas, nada foi respondido, é interessante, mais fácil sempre culpabilizar o outro, por mais nítida que seja e com razão a culpa do estado, mas e a prefeitura quanto a manutenção dos logradouros?

Valores de mais de 4 milhões de reais destinados a manutenção e serviços de drenagem foram destinados a sub prefeitura, que investiu pouco menos que a metade, isso de acordo com dados de novembro – não há lançamentos de dezembro – da própria prefeitura pelo portal de transparência, onde estão sendo aplicados estes recursos?

Agora estaremos para próxima semana indo a ALESP conversar com os deputados, espero que seja feito algo e rápido, não é tolerável o jogo de empurra empurra.

Reunião sobre a enchente no Jardim Helena

Estive nesta manhã reunido com lideranças do distrito do Jardim Helena, em reunião provocada por mim e a Luciene do Jornal da Várzea, para discutirmos ações conjuntas em prol as famílias atingidas pela enchente no distrito – Vila Itaim, Seabra, Chácara 3 meninas – programamos para amanhã (13/01) irmos a subprefeitura protocolar nossa reclamação e iniciar a coleta de alimentos não perecíveis, roupas, material de limpeza entre outros.
Em nossa pauta também esteve a necessidade de falarmos com os deputados que fazem parte da frente parlamentar da várzea.

Reunião Conselho Participativo – Observatório

Estive reunido com os conselheiros de algumas regiões para falarmos a respeito do foco do conselho municipal participativo, que para mim nada mais é do que um conselho que perdeu seu sentido de existir a partir do momento que não há lisura pela prefeitura em divulgar a eleição, esclarecendo assim a população e tão pouco

Natal na ACDEM Jardim Helena

No dia de hoje estive na ACDEM Jardim Helena para prestigiar o evento de natal com entrega de presentes, com a Elisângela apadrinhamos a pequena Vitória que é assistida pela casa.

Por sinal são muito bem acolhidos, esta foi a terceira visita que fiz na casa e seus colaboradores excepcionalmente acolhem bem a todos que ali estão, parabenizo a todos pelo carinho, atenção e dedicação que tratam seus assistidos, parentes e visitantes.

Em especial Rubens que por seu convite de apadrinhar um dos assistidos, agradeço também pela conversa muito interessante sobre inclusão de crianças especiais na rede de ensino pública e particular de forma impositiva, que tive com a Mayara.

Muito bom saber que existem pessoas especiais que olham pelos nossos seres mais que especiais que necessitam de tanto carinho e atenção. 

 

Campanha do Conselho Tutelar com Marcinho Silva.

Campanha do Conselho Tutelar com Marcinho Silva.

O bacana de se estar apoiando e seguindo uma campanha, seja a própria como já passei, ou então apoiando ora a vereador, prefeito ou conselho tutelar, é conhecer novas pessoas, amizades, contatos e principalmente suas histórias, seus anseios e sonhos, poder participar um pouco da realidade dela que por mim é desconhecida, saber o que pensa e espera.

Em especial para conselho tutelar, creio que assim como muitos, pouco conhecia ou quase nada a respeito, sim, tudo na vida é aprendizado e este está sendo mais um, conselho tutelar não é para se retirar criança dos pais ou então para ser usado para colocar medo nelas, mas é sim olhar e zelar pelo seu bem estar, seja ela da periferia ou mesmo de regiões abastadas da cidade.

É muito importante o trabalho do conselho que por muitas vezes são ineficazes devido a politicagem, loteamento por partidos, é preciso sim inovar, pensar novo e diferente, e por acreditar nisso e ver que o Márcio é uma pessoa que quer trazer um “novo conselho tutelar” que o estou apoiando, se é possível sim uma nova política, também é possível um Conselho Tutelar mais próximo e humano.

Ministério Público e MPL

Olá meus caros, todo debate maduro e baseado em fatos concretos sempre são válidos.

Segue o meu relato sobre a sessão pública do ministério público do estado de São Paulo a qual estive.

Marcada para as 14:00 a sessão começou com atraso de 40min, neste meio tempo fui abordado por alguns presentes e principalmente pelo promotor de justiça Márcio, com o qual fiquei conversando e se mostrou interessado em saber “quem são os piratas”, passados alguns minutos chegou o pessoal do passe livre, e para ser franco gostam dos holofotes, ficaram atacando o governo tanto municipal quanto principalmente o estadual e assim foram lá 20 minutos nisso.

Iniciada a sessão e suas apresentações, ali estavam representantes da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, São Paulo Transportes, Secretaria de urbanismo, e promotores.

Faltaram ao convite do MPSP o Jilmar Tatto (PT) que é o secretário municipal de transportes do município e tinha antecipadamente aceito e divulgado que se faria presente, não veio o secretário de transportes do estado, tão pouco prefeito e governador que estão na França (e passando constrangimento por protesto de 10 pessoas na porta do hotel).

Todos da mesa falaram, assim como o MPL, representantes do PCdoB, PCB, PSTU, PPS, UNE e sindicato dos metroviários.

O discurso basicamente o mesmo, “não somos a favor da violência mas quem começou foi a PM e sempre na dispersão, queremos que a tarifa volta para os R$ 3,00 senão os protestos não cessarão” e foi assim durante mais de 3 horas se revezando e mantendo esta linha.

Entre uma fala e outra o que se ouvia tanto a quem estava próximo e também a posição do MP foi “Por qual razão, não provocaram uma reunião com governo estadual e municipal para discutir a respeito, fizeram isto só ontem?” pois o MPL protocolou junto ao MPSP o requerimento a respeito apenas ontem e não de forma anterior como eu já vinha anteriormente tentando mostrar uma outra linha de pensamento, e o resto do filme todos viram nos posts passados.

Também houve questionamento e silêncio por parte dos representantes do MPL por qual razão não foi solicitado escolta policial, afinal é obrigação do estado zelar pela preservação do direito e bla bla mais que foi dito, assim não teria ocorrido a cena de um motorista que atirou o carro em cima de manifestantes tão pouco teria veículos cruzando a paulista na primeira manifestação quase atropelando policiais que se mantinham em distância dos manifestantes.

Ao meu lado estava a Isabela, formada em economia pela PUC e mestranda pela Unicamp que participa da Rede (mas com tendência a vir mais para o movimento pirata depois de esclarecimentos a respeito), ela me fala “só querem que baixe a tarifa apenas?”, ela pediu a vez para falar, falou sobre mobilidade urbana, tocou quanto economia, o problema gerado quando se tem uma tarifa alta entre outros aspectos gerais.

Foi chegada a minha vez, estava portando valores de tarifas para fazer comparações, e outros documentos que levantei de gastos da secretaria de transporte, e fiz a provocação ao representante da SPTrans e EMTU “Já que a tarifa de R$ 3,20 é justa para vocês, o que acham de usar uma condução de R$ 9,45?” no que ouço do promotor “como assim?” Expliquei que o foco da conversa está centralizado na capital, a redução de tarifas etc, apenas estão vendo e falando de forma localizada, então estendi o debate a situação de cidades que tão pouco tem transportes suficientes e necessários, assim como a tarifa é exorbitante, fiz o comparativo entre o valor da capital de R$ 3,20 em uma cidade com a já citada “problemática de trânsito, que fica muito tempo parado, gasto de combustível, terreno acidentado” e comparei com a taxa de R$ 3,55 dos ônibus entre Santos e São Vicente, com percurso muito menor e é uma região plana.

É incrível o desconhecimento e visão de “mundo” de quem está a frente de movimentos, não se importam de ver além do valor tarifário puro e simples.

No tocante de “não ter dinheiro para subsidiar e que o governo não tem pauta para redução da tarifa” falei diretamente ao representante da EMTU que “um governo que já diz que não ha conversa, não é um governo democraticamente eleito”, citei linhas que ao longo do dia são “fantasmas”, linhas que param as 20:00 e perguntei se ninguém trabalha depois deste horário.

Enfim, o resultado disto no decorrer foi a proposta do MP de dialogar uma suspensão e não a redução e ponto final, da tarifa durante 45 dias onde serão também suspensas as manifestações, a de hoje como não daria para cancelar, então o que foi proposto em contrapartida pelo MPL seria que não fechariam ruas e avenidas se houvesse a suspensão ou o aceno em direção a isto, e que fariam uma comemoração nos locais de concentração.

Houve uma certa intransigência por parte do PCB para aceitar este pequeno ganho, mas venceu a maioria, o promotor Maurício propôs que se formasse ali uma comissão de 5 pessoas para verificar planilhas de transporte, contratos etc, tudo mais que fosse necessário para verificar a possível redução da tarifa, inclusive até abaixo da tarifa anteriormente vigente, no que ouço a resposta do pessoal do MPL “já está fechado, serão o pessoal que já estão conosco” pois bem, isto é um movimento por algo que seja público ou apenas o clube fechado?

O promotor foi bem claro, queria representante de cada um dos presentes que quisessem participar, ou seja dos partidos, associações, sindicatos e também de partido em formação ou seja PIRATAS, aí me pergunto, muitos querem enaltecer o MPL e na hora H somos colocado de fora e vamos continuar a falar deles?

No dia de hoje, vejo o resultado de R$ 0,10 a menos na tarifa e também vejo aceno em direção a suspensão de 45 dias da tarifa pelo estado, pois aí já entra a questão política da coisa, o PT reduz R$ 0,10 e o estado ou segue ou suspende ou mantém, o que neste último caso será mais desgastante politicamente ao PSDB, é muito provável que nos próximos meses se formalize o PSB apoiado pelo PCdoB e PCB entre outros, um candidato para concorrer ao governo do estado, isto já é uma outra história e são conversas de bastidores naquele momento. Pois surgiu depois que fui indagado se o Piratas é da mesma ideologia do PCdoB e PCB.

Bom, foi isso, creio que boa parte do que aconteceu lá gerou maior fruto não desqualificando os protestos, os quais temos que tomar cuidado em ver de forma global e tomar posição enfática sobre algumas questões, de quem são os que encabeçam, e ver de forma global e politicamente, afinal somos um grupo político ou não?

Abraços a todos.